"A Estrada da Noite" de Joe Hill

domingo, janeiro 30, 2011

"A Estrada da Noite"
Autor: Joe Hill
Tradução: Mário Molina
Editora: Sextante
320 páginas

Sinopse: Uma lenda do rock pesado, o cinqüentão Judas Coyne coleciona objetos macabros: um livro de receitas para canibais, uma confissão de uma bruxa de 300 anos atrás, um laço usado num enforcamento, uma fita com cenas reais de assassinato. Por isso, quando fica sabendo de um estranho leilão na internet, ele não pensa duas vezes antes de fazer uma oferta.
"Vou ´vender´ o fantasma do meu padrasto pelo lance mais alto..."
Por 1.000 dólares, o roqueiro se torna o feliz proprietário do paletó de um morto, supostamente assombrado pelo espírito do antigo dono. Sempre às voltas com seus próprios fantasmas - o pai violento, as mulheres que usou e descartou, os colegas de banda que traiu -, Jude não tem medo de encarar mais um.
Mas tudo muda quando o paletó finalmente é entregue na sua casa, numa caixa preta em forma de coração. Desta vez, não se trata de uma curiosidade inofensiva nem de um fantasma imaginário. Sua presença é real e ameaçadora.
O espírito parece estar em todos os lugares, à espreita, balançando na mão cadavérica uma lâmina reluzente - verdadeira sentença de morte. O roqueiro logo descobre que o fantasma não entrou na sua vida por acaso e só sairá dela depois de se vingar. O morto é Craddock McDermott, o padrasto de uma fã que cometeu suicídio depois de ser abandonada por Jude.
Numa corrida desesperada para salvar sua vida, Jude faz as malas e cai na estrada com sua jovem namorada gótica. Durante a perseguição implacável do fantasma, o astro do rock é obrigado a enfrentar seu passado em busca de uma saída para o futuro. As verdadeiras motivações de vivos e mortos vão se revelando pouco a pouco em A estrada da noite - e nada é exatamente o que parece.
Ancorando o sobrenatural na realidade psicológica de personagens complexos e verossímeis, Joe Hill consegue um feito raro: em seu romance de estréia, já é considerado um novo mestre do suspense e do terror.


Joe Hill, filho de Stephen King, entrou no mundo literário com o livro de terror “A Estrada da Noite”. Li este livro pela primeira vez em 2008 e reli este ano. Apesar disso, só soube recentemente que Joe Hill, na verdade Joseph Hillstrom King, é filho de S. King (muito atrasada). 

A primeira coisa que me atraiu no livro foi a capa com aquela estrada deserta e que não sabe onde vai dar. O título é em alto relevo, com um efeito muito legal de iluminação, o que faz um contraste com o resto da capa toda escura. Com certeza, leitores deste gênero mais sombrio se sentem atraídos só de olhar. A frase escrita na capa - Mais cedo ou mais tarde, os mortos nos alcançam – aumenta a vontade de saber que história o livro traz. É legal perceber também que a capa faz juz ao que o personagem principal, Judas Coyne - Jude - passará pela narrativa ao não saber onde vai dar toda a loucura em que se meteu. 

O livro narra a história do roqueiro Jude, um senhor do rock e que vive com a namorada Marybeth (também conhecida como Geórgia), uma garota gótica. O estilo de vida de Jude gira em torno de tudo o que é sombrio. Ele tem, como hobby, por exemplo, colecionar objetos muuuito sombrios e macabros. Só para se ter noção, ele mantém uma fita VHS que mostra o real assassinato de um casal (muito louco!). Posso dizer que Jude me irritava um pouco com o seu jeito excessivo de ser dark. 

É por causa desse estilo sinistro que a vida de Jude e de sua namorada muda repentinamente. Jude simplesmente decide comprar pela internet um paletó que, de acordo com o anúncio, é assombrado por um fantasma. A partir dessa compra, coisas estranhas começam a acontecer, momento em que a narrativa é enriquecida com muito suspense - o autor consegue descrever de forma concreta as cenas, como o comportamento estranho dos cachorros ou os sons estranhos na casa. 

A história se desenrola devido à sede de vingança do fantasma Craddock McDermott em matar Jude. McDermott era padrasto de Anna, ex-namorada de Jude e que está morta. O fantasma alega que Anna se suicidou porque ele a tinha abandonado. A parte em que Jude vê o fantasma Craddock McDermott pela primeira vez me deixou arrepiada. 

“A cabeça do velho estava curvada. Seu chapéu descansava no joelho. O cabelo escovinha, cortado rente, tinha um brilho de geada. Os botões na frente do paletó cintilavam no escuro, cromados pelo luar. Jude reconheceu num relance o paletó. Da última vez que o vira, estava dobrado na caixa preta em forma de coração, uma caixa que tinha ido para o fundo do closet. Os olhos do velho estavam fechados.” (pg. 29) 

“A Estrada da Noite” é aquele típico livro que está nos levando por um caminho, mas que, no final, acontece uma reviravolta e o que se pensava não é o certo (me decepcionei um pouco com o final, esperava um pouco mais). É um livro com bastante suspense, o quê me entusiasmou muito e me deixou sem fôlego diversas vezes, mas também apresenta temas importantes de se falar, como o abuso infantil, fato que faz parte da história de mais de um personagem. Achei interessante esse tema ser abordado! De forma geral, Joe Hill está de parabéns!

By Alessandra



Poderá gostar também

2 comentários

  1. O que? Joe Hill é filho do Stephen King? =O
    Juro que nem fazia idéia disso!
    haushuahshuahsuhaush

    Estou louca pra ler esse livro dele, falam muito bem dele!!

    Adorei a resenha, muito boa!!
    Abraços
    http://lizzyjenks.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Eu amo os livros do Stephen King... Com certeza vou ler o livro do filho dele, vai que o talento é hereditário?? xDD
    Sem falar que já ouvi ótimas críticas sobre "A Estrada da Noite".
    Ótima resenha *-*
    bjs

    ResponderExcluir

- É permitido divulgar o endereço do blog/site, desde que seja feito em um comentário a respeito do post.
- Comentários realizados apenas para divulgar blogs/sites/promoções serão apagados.
- Utilize o formulário de CONTATO para avisos a respeito de memes/promoções/parcerias.

Popular Posts

Twitter

Instagram