"Anna e o Beijo Francês" de Stephanie Perkins

segunda-feira, julho 11, 2011

"Anna e o Beijo Francês"
Autora: Stephanie Perkins
Tradução: Fabiana Paganini de Andrade
Editora: Novo Conceito
288 páginas

Sinopse: Anna está ansiosa pelo seu último ano em Atlanta, onde tem um grande trabalho, um melhor amigo leal, e uma queda na iminência de tornar-se mais. É por isso que ela não estava muito empolgada em ser enviada para um colégio interno em Paris, onde ela conhece St. Clair: perfeito, parisiense e absolutamente irresistível. Como o inverno derrete na primavera, será um ano romântico que terminará com o grande beijo francês aguardado?






Quando soubemos que a editora Novo Conceito iria lançar o livro em português, simplesmente surtamos. Tudo porque a Alessandra tem o hardcover original em inglês (Anna and the french Kiss) e a história já tinha conquistado. Depois de lê-lo traduzido, continuamos com a mesma opinião. É um livro que conquista logo nas primeiras páginas e, ao longo da leitura, nos sentimos cada vez mais cativadas pelas aventuras e dúvidas da personagem Anna.

Anna é uma adolescente de 17 anos, americana, filha de um famoso escritor dos EUA e de uma professora que, embora divorciados, compartilham da ideia dela estudar na França por certo tempo. É assim, por obrigação, que Anna vai parar na SOAP (School of American in Paris), tendo que deixar para trás os pais, o irmão mais novo de quem tanto gosta, a melhor amiga Bridgette e um possível futuro namorado, Toph. Por causa disso, mesmo indo para Paris, seu sentimento não é dos melhores – é difícil para ela acreditar que esta será uma experiência legal. Afinal, por não ter sido uma escolha, a mudança se torna um fardo: a distância de quem gosta, um novo país, nova escola, novos amigos e, como se não bastasse, uma nova língua, o que faz Anna se desesperar no primeiro momento. No entanto, para seu alívio, Anna facilmente encontra apoio em novos amigos: Meredith, Rashimi, Josh e Étienne St. Clair. Este, desde o início, a deixa encantada e, em breve, Ana irá se deparar com sentimentos controversos e confusos por este amigo. É em torno disso que a história se dará.

Apesar de o livro tratar de um romance adolescente, não achamos a história melosa, que muitas vezes passa a ser chata e cansativa. Pelo contrário. As divagações de Anna, que é também a narradora do livro, rendem boas risadas. A autora se torna muito convincente e engraçada ao escrever como se tivesse mesmo 17 anos. É hilariante perceber as reações e o que se passa na cabeça de Anna diante das situações em que se mete:

“À tarde, sigo a boiada até a cantina. Evito a fila principal e vou direto ao balcão ‘escolha-sua-própria-fruta’ e pão, ainda que o cheiro da massa esteja muito bom. Eu sou tão covarde. Prefiro ficar faminta a tentar pedir algo em francês. ‘Oui, oui’, eu diria, apontando aleatoriamente para as palavras no cardápio. Então, o chef Bigode Guidão de Bicicleta me traria algo repugnante e eu teria que comprar por pura vergonha. Claro que eu queria pedir o pombo assado! Humm! Igualzinho ao da vovó.” (página 30)

Como se pode notar, a linguagem é simples e cheia de humor. Mesmo nos momentos difíceis da personagem, é quase impossível não rir. Imagina, então, naqueles momentos, digamos, mais românticos. Com certeza, deve ter sido esse jeito divertido de a autora escrever um dos pontos que nos cativou. Além disso, tem um detalhe que nos chamou a atenção: a descrição do escritor – pai de Anna – não é a cara do Nicholas Sparks ou qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência? Quem leu, por favor, nos diga o que achou ;) Hehehehe Sei lá, achamos que a autora não é muito fã dele não.

Ah, não podíamos deixar de falar da capa e da tradução. A capa é exatamente igual à original. Apesar de usar pessoas reais como imagem – o que vocês já sabem que não gostamos –achamos ela delicada e apaixonante, assim como a história, mas, com certeza, a Anna que imaginamos não é nem um pouco parecida com a da foto hehehehe.  Sobre a tradução, ao comparar o livro original com a versão brasileira, podemos dizer que ela foi super bem feita.   Os erros (que foram poucos) encontrados ao longo do texto não foram de adaptação, mas de escrita, nada que atrapalhe o rendimento da leitura.

Enfim, o livro é daqueles que nos deixa com a sensação “aaahh, acabou?!” (que o diga a Ale) É leve e encantador e, certamente, recomendado por nós.


By Alessandra e Débora



Poderá gostar também

3 comentários

  1. Tá todo mundo falando desse livro... parece ser tão gostoso de ler... mas ainda não consegui comprar ¬¬º
    adorei a resenha, me deixou com mais vontade ainda de ler (:
    Bjão =^.^=

    ResponderExcluir
  2. Eu quero demais ler esse livro!!
    O meu está pra chegar e não vejo a hora de começar a ler!
    Vocês ressaltaram pontos que já li em outras resenhas: a semelhança do pai da Anna com o Nicholas Sparks (e o fato de a autora não parecer gostar muito dele), os pequenos erros na tradução, o fato do livro ser impossível de se largar.
    Enfim, gostei bastante da resenha ^^
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Muito interessante a história!! Parece ser bem atual...eu sinceramente prefiro assim!! Gosto de textos com uma "pegada" moderna!! E essa parte do humor deve deixar a leitura muito mais leve, outro ponto positivo!! O fato de se passar em Paris, então?? Amo a cidade luz!!! Analisando direitinho, "Anna e o Beijo Francês" é PERFEITOOOOO!!

    ResponderExcluir

- É permitido divulgar o endereço do blog/site, desde que seja feito em um comentário a respeito do post.
- Comentários realizados apenas para divulgar blogs/sites/promoções serão apagados.
- Utilize o formulário de CONTATO para avisos a respeito de memes/promoções/parcerias.

Popular Posts

Twitter

Instagram