"O Príncipe Sombrio" de Christine Feehan

quinta-feira, novembro 21, 2013

“O Príncipe Sombrio” - Livro 1 da série Os Cárpatos
Autora: Christine Feehan
Tradução: Alyne Azuma
Editora: Universo dos Livros
464 páginas

Sinopse: Mikhail Dubrinksy é o Príncipe dos Cárpatos, o líder de uma sábia e secreta raça ancestral que vive na noite. Tomado pelo desespero, com medo de nunca encontrar a companheira que iria salvá-lo da escuridão, a alma de Dubrinksy gritava na solidão. Até o dia em que uma bela voz, cheia de luz e amor, chegou a ele, atenuando sua dor e seu anseio. Raven Whitney possui poderes telepáticos e os utiliza na captura dos mais depravados serial-killers. Desde o momento que se conheceram, Raven e Mikhail foram incapazes de resistir ao desejo que faiscava entre eles. Mas forças sombrias tentarão destruir esse frágil amor. E mesmo que sobrevivam, como poderão - cárpato e humano construir um futuro juntos?



Difícil de escrever essa resenha... esse é o primeiro livro que abandono por não me prender aos personagens. Por ser uma leitura fantástica (gênero que muito me agrada), achei que iria amar o livro, mas não deu para seguir adiante, infelizmente.

Apesar de já ser batido essa coisa de “vampiros”, a ideia da história é boa sim. Os Cárpatos é uma raça que está em extinção. Não há mulheres o suficiente para dar continuidade à raça. Sem encontrar suas verdadeiras companheiras, vivem em uma depressão e enxergam tudo sem cor, somente cinza e branco. Porém, quando encontram sua verdadeira companheira, todo esse cenário muda e eles começam a sentir e a enxergar as cores. É isso que ocorre com Mikhail Dubrinksy, o Príncipe dos Cárpatos. Dunrinksy se encontra em uma profunda tristeza. Passaram 200 anos e sem ainda ter encontrado sua companheira para dar fim à solidão. Tudo isso muda quando ele encontra (ou seria 'escuta'? Hahaha) Raven Whitney. Raven é uma americana que se encontra em férias na Romênia. Ela possui poderes telepáticos, o que a ajuda na captura de serial-killers.

Mesmo tendo encontrado alguns pontos inovadores na história, os personagens não caíram no meu gosto. Para mim, tanto Mikhail quanto Raven foram um tanto irritantes. Achei Mikhail um aproveitador, que utilizava do seu dom de persuasão para conseguir o que queria, além de ser extremamente possessivo, o que o tornava muito irritante. Até entendo que talvez essa possessividade fosse para mostrar a força da relação de Mikhail com Raven, da super atração que ambos possuíam um com o outro, mas mesmo assim não deixa de incomodar... achei muito forçado e não algo natural. Raven também não se safa hahahaha personagem totalmente tola. Achei ela sem voz na história, o que me desagradou. Indecisa pra caramba e sem “força de punho”. Uma pessoa que ajuda na captura de serial-killers não se enquadra nas ações da Raven... como falei agora pouco, tola.

Uma impressão que eu também fiquei ao ler O Príncipe dos Cárpatos é que parecia que a história não rendia, não andava. Achei que a autora quis forçar muito a atração entre Mikhail e Raven, o que acabou rendendo muitas cenas de sexo. Parecia que era “sexo, sexo, sexo, alguma coisa acontecia, sexo, sexo, outra coisa acontecia, sexo”. Tipo... quero desenrolaaaaar da história!!!

Outra coisa também notável são os diversos erros que uma revisão mais atenta poderia ter evitado. Procurei mais informações e esses erros já foram ajeitados pela editora nas edições atualizadas do livro. :]]

Enfim, como falado no início da resenha, acabei abandonando a leitura. :/// Talvez, futuramente, eu tente de novo dar mais uma chance à leitura, pois há a possibilidade de eu me surpreender mais para o fim. Mas por ora, pretendo deixar a série Os Cárpatos quietinha hehehe.

By Alessandra

Poderá gostar também

4 comentários

  1. Conhecia o livro por alto mas não sabia que ele era assim e nem do que se tratava muito bem. Não acredito que você abandonou! Uma pena não ter "rolado uma química com o livro", sei como é! Talvez numa releitura você ache melhor!

    http://alguns-livros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma pena mesmo quando não rola química com o livro... a leitura simplesmente não flui :/
      Bjos

      Excluir
  2. Uma pena que você não gostou a ponto de abandonar o livro. Eu ainda não o li, ele está na minha lista de leitura. Enfim, cada um encara de um jeito, por isso ainda pretendo ler.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia sim, Rose! Depois vamos querer saber tua opinião ;)
      Bjos

      Excluir

- É permitido divulgar o endereço do blog/site, desde que seja feito em um comentário a respeito do post.
- Comentários realizados apenas para divulgar blogs/sites/promoções serão apagados.
- Utilize o formulário de CONTATO para avisos a respeito de memes/promoções/parcerias.

Popular Posts

Twitter

Instagram