"O Menino dos Fantoches de Varsóvia" de Eva Weaver

terça-feira, janeiro 13, 2015

"O Menino dos Fantoches de Varsóvia"
Autora: Eva Weaver
Tradução: Ivar Panazzolo Júnior
Editora: Novo Conceito
400 páginas

Sinopse: Mesmo diante de uma vida extremamente difícil, há esperança. E às vezes essa esperança vem na forma de um garotinho, armado com uma trupe de marionetes – um príncipe, uma menina, um bobo da corte, um crocodilo... O avô de Mika morreu no gueto de Varsóvia, e o menino herdou não apenas o seu grande casaco, mas também um tesouro cheio de segredos. Em um bolso meio escondido, ele encontra uma cabeça de papel machê, um retalho... o príncipe. E um teatro de marionetes seria uma maneira incrível de alegrar o primo que acabou de perder o pai, o menininho que está doente, os vizinhos que moram em um quartinho apertado. Logo o gueto inteiro só fala do mestre das marionetes – até chegar o dia em que Mika é parado por um oficial alemão e empurrado para uma vida obscura. Esta é uma história sobre sobrevivência. Uma jornada épica, que atravessa continentes e gerações, de Varsóvia à Sibéria, e duas vidas que se entrelaçam em meio ao caos da guerra. Porque mesmo em tempo de guerra existe esperança.


"Sempre pensei no que Leopold Staff dizia: 'Mais do que pão, a poesia é necessária em épocas em que não há nenhuma necessidade de ouvi-la.' Sei que é difícil lembrar disso quando estamos com fome o tempo todo, mas não podemos nos esquecer do poder da música, e dos fantoches."


Olá pessoal, tudo bem?!

Hoje a resenha é de um livro que entrou para a minha lista de favoritos. Não sei o porquê, mas muitos dos livros, que têm como pano de fundo guerras reais, mexem comigo e me fazem refletir sobre a situação em que vivem os personagens. O simples fato de trazer um pouco de história real para o mundo da ficção já chama minha atenção, principalmente por saber que muitos na vida tiveram realmente tal experiência. Leituras assim rapidamente acabam me conquistanto, me marcam e, por isso, costumam entrar para a minha lista de preferidas. "O Menino dos Fantoches de Varsóvia", de Eva Weaver, é um livro que agora está entre aqueles que indico quando o tema se refere à Segunda Guerra Mundial e Holocausto. Certamente, foi um dos melhores livros que li em 2014.

A história de "O Menino dos Fantoches de Varsóvia" tem como personagem principal Mika, um menino judeu que, juntamente com sua família e outras pessoas em semelhante condição, se vê no meio de uma guerra brutal e cruel. Em poucos dias, sua família é obrigada a deixar para trás um lar bem construído, suas memórias e pertences, e se vê carregada para um gueto isolado do resto da cidade de Varsóvia. Na nova casa proporcionada pelo sistema nazista, Mika se depara com uma nova vida, bem diferente daquela com a qual estava acostumado até então. Os passos nas ruas são controlados pelos soldados nazistas, a comida é racionada, o estudo é negado, as doenças se disseminam e a miséria rapidamente se alastra e atinge a todos. 

Porém, no pequeno apartamente em que vivem Mika, sua mãe e seu avô, a esperança de fazer o lugar se parecer com um lar ainda se faz presente através de pequenos elementos. Numa tentativa de fuga da realidade que se apresenta lá fora e de uma busca por cor num mundo tão cinza, a mãe de Mika ainda coloca flores na janela e seu avô cultiva a arte dos fantoches, criando personagens que ainda conseguem rir. É dentro de um casaco cheio de bolsos que o avô de Mika guarda alguns desses fantoches, além de outros tesouros esquecidos. Este casaco, porém, acaba herdado por Mika, após a morte implacável de seu dono. Este objeto, a princípio sem significado algum, se torna um refúgio para Mika, que sofre com a ausência do avô. O casaco e os fantoches viram seus amigos e, junto com Ellie - sua prima - Mika descobre um mundo de faz-de-contas. O que Mika não esperava, entretanto, é que esse seu mundo e seu refúgio fossem descobertos e passassem a estar tão perto da realidade e do perigo, após soldados nazistas o verem e o recrutarem para entretenimento. Entre estes soldados, estava Max, um alemão que vê no pequeno Mika a figura de seu próprio filho e, mesmo sem admitir, cria pelo menino certa empatia. É a partir dessa situção inusitada que Mika se vê dividido. Ao mesmo tempo em que vê sua família, amigos e conhecidos passando por situações indignas, o pequeno menino caminha entre os inimigos e entretem e faz rir, com seu teatro de fantoches, os soldados nazistas, recebendo como pagamento um pequeno pedaço de pão. 

A situação, com certeza, é tensa e difícil, porém a história, como bem conhecemos, não pára por aí. Muito em breve, o gueto de Varsóvia, onde Mika vive e Max trabalha, passa a sofrer com os momentos mais cruéis que a humanidade já viu. E Mika e Max são as testemunhas vivas que documentam e contam através de seus olhos as suas experiências de mortes, sobrevivência e vida. Enquanto se tem pelo olhar de Mika a versão do que sofreram os judeus, é através da figura de Max que teremos também a versão do outro lado, a versão de soldados que cumpriam ordens sem questioná-las ou entenderem suas razões - fato que também me emocionou durante a leitura e me fez mais uma vez concluir que em nenhuma guerra há ganhadores, todos são perdedores. 

Através da divisão da narrativa em duas partes - a primeira narrada em primeira pessoa por Mika e a segunda narrada em terceira pessoa por Max -, a autora Eva Weaver conseguiu construir um texto fluído, coeso e simples, no sentido de conter os elementos certos para prender a atençao do leitor. Além disso, todos os personagens, inclusive os secundários, são bem elaborados e importantes para aquilo que se conta e é através deles que se consegue refletir e questionar sentimentos, temores, alegrias e esperanças. Noutras palavras, é com muita facilidade que se cria empatia pelas pessoas que estão vivas dentro dessa história e pela luta que cada uma delas trava pela sobrevivência.

Eu, com certeza, fui uma das leitoras que criou muita empatia por essa narrativa. Como devem ter percebido, esse livro para mim foi encantador e emocionante, apesar de todos os horrores da Segunda Guerra que serviram como pano de fundo pra essa história. Na minha opinião, ele está no mesmo patamar de outros livros que amo, como "O Menino do Pijama Listrado" e "A menina que roubava livros". E, para resumir em uma palavra o que tenho a dizer sobre ele: leiam!!!


P.S.: Após a leitura do livro, procurei assistir também o filme "O Coração Corajoso de Irena Sendler" - nome abordado no livro. Deixo abaixo o trailer (não achei legendado :/) para quem quiser ver!

By Débora


Poderá gostar também

4 comentários

  1. Quanto tu diz que esse livro está no mesmo patamar que A menina que roubava livros, já me ganhou e quero ler este livro o mais cedo possível haha. Adorei a resenha (:

    Beijos!
    http://palavrasdeumlivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mto obrigada pelo comentário, Yara!
      Leia sim, esse livro é lindo e emocionante! Recomendo!!!
      Bjos

      Excluir
  2. Esse livro já está na minha lista, tenho um certo fascínio por livros com essa temática! Essa é uma história realmente encantadora, quando conseguir ler venho aqui pra trocarmos ideias.

    P.s: blog lindo, seguindo, sucesso!
    Beijo.
    http://www.tendadoslivros.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que tu irá adorar esse livro, Daiana!
      É emocionante e tocante, lindo! Leia e depois volta aqui pra nos contar o que achou, tá?!
      Obrigada pela visita e comentário :)
      Bjos

      Excluir

- É permitido divulgar o endereço do blog/site, desde que seja feito em um comentário a respeito do post.
- Comentários realizados apenas para divulgar blogs/sites/promoções serão apagados.
- Utilize o formulário de CONTATO para avisos a respeito de memes/promoções/parcerias.

Popular Posts

Twitter

Instagram