"O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares" de Ransom Riggs

sexta-feira, janeiro 06, 2017

"O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares"
Autor: Ransom Riggs
Tradução: Edmundo Barreiro e Marcia Blasques
Editora: Leya
335 páginas

Sinopse: Tudo está à espera para ser descoberto em 'O orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares', um romance que tenta misturar ficção e fotografia. A história começa com uma tragédia familiar que lança Jacob, um rapaz de 16 anos, em uma jornada até uma ilha remota na costa do País de Gales, onde descobre as ruínas do Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares. Enquanto Jacob explora os quartos e corredores abandonados, fica claro que as crianças do orfanato são muito mais do que simplesmente peculiares. Elas podem ter sido perigosas e confinadas na ilha deserta por um bom motivo. E, de algum modo - por mais impossível que possa parecer - ainda podem estar vivas.



Olá, leitores! Tudo bem?!

Hoje a resenha é do livro "O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares", de Ransom Riggs. Confesso que este foi um livro que comprei embalada pela capa e pelo título, sem atentar muito para a história em si. Adoro livros com um bom suspense sobrenatural, bem ao estilo do autor Záfon, e, quando me deparei com esse título, antes de ele atingir a hype atual, pensei que se tratasse de um desses casos. Resumindo, comprei no impulso e depois percebi que ele foi ganhando notoriedade (até virou filme), o que aumentou minhas expectativas para a leitura que fiz recentemente. 

Para quem ainda não conhece, a história criada pelo autor Ransom Riggs tem, como protagonista, o jovem Jacob, um adolescente com vários dilemas típicos da idade, mas que encontra um verdadeiro amigo na figura de seu avô paterno, o senhor Abraham Portman. Desde pequeno, Jacob criou uma relação muito próxima com o avô, sendo o principal ouvinte das suas histórias fascinantes. Para ele, o senhor Abraham contou como havia sobrevivido à Segunda Guerra Mundial em um orfanato para crianças peculiares, no interior do Reino Unido. Nesse local, Abraham dividira a vida com um grupo de jovens que, devido às suas peculiares diferenças, foram, em sua maioria, abandonadas por suas famílias. Eram jovens com estranhos poderes, como a capacidade de flutuar, fazer fogo com as mãos, dar vida a objetos, se tornar invisível, entre outros. Todos eles eram criados sob a proteção da Srta. Peregrine, uma mulher que, assim como as crianças, também tinha poderes. No seu caso, a de se transformar em pássaro e ter o controle do tempo, sendo chamada de Ymbryne.

Os causos que o avô contava a Jacob, durante a infância, despertavam seu interesse e curiosidade. Porém, durante a adolescência, eles começaram a parecer sintomas de insanidade e, as velhas histórias e fotos que antes mexiam com o imaginário de Jacob, agora nada mais eram do que provas da saúde mental do seu querido avô. 

Tudo muda com o estranho assassinato de Abraham, no qual Jacob foi única testemunha. Apesar de ter a certeza de ter visto uma criatura no local da morte, Jacob é levado a crer que a visão foi resultado de stress pós-traumático e acaba aceitando receber apoio do psiquiatra Golan. Como parte do tratamento, Dr. Golan sugere a ida de Jacob para o interior do Reino Unido, onde poderá conhecer o local das histórias do avô e se despedir dele, virando essa página da vida. Mesmo com a decepção iniciail de só encontrar escombros ao chegar no local, Jacob não desiste e continua visitando as ruínas do antigo orfanato em busca de vestígios de uma história perdida. É em uma dessas buscas que Jacob acaba se deparando com crianças que parecem conhecê-lo e, ao seguí-las, acaba passando pela "fenda do tempo" e voltando para 3 de setembro de 1940, data na qual ele encontra o orfanato em pleno funcionamento, um verdadeiro lar para as crianças que lá vivem. 

"De algum modo, eu os reconheci, mas não sabia de onde eram, como se fossem rostos de um sonho de que não nos lembramos direito. Onde será que eu os vira antes? E como eles sabiam o nome do meu avô? Então eu entendi. As roupas deles eram estranhas mesmo para o País de Gales. Tinham rostos sérios e pálidos. Os retratos espalhados no chão ao meu redor olhavam para mim do mesmo modo que os garotos lá em cima. De repente, compreendi. Eu os vira nas fotografias." pg.113

"O quintal estava cheio de crianças; quase todas elas eu reconheci das fotografias amareladas. Algumas descansavam à sombra de árvores frondosas, enquanto outras jogavam bola e corriam atrás umas das outras em meio a canteiros de flores que explodiam em cores. Era exatamente o paraíso que meu avô me descrevera em suas histórias. Essa era a ilha encantada; essas eram as crianças mágicas. Se eu estava sonhando, não queria acordar. Pelo menos, não por um bom tempo." pg.135

É a partir desse momento que a vida de Jacob começa a mudar. Entre o ano atual e o de 1940, ele passa a entender a vida e as histórias do avô, a importância de as crianças permanecerem presas no tempo e o perigo que sempre o rondou. Criando cada vez mais confiança no novo mundo, Jacob cria verdadeiras amizades e percebe que a peculiaridade está mais próxima da sua vida do que suspeitava. 

Nós peculiares somos abençoados com habilidades que as pessoas comuns não têm, tão infinitas em suas combinações e variedades quanto outras na pigmentação da pele ou no arranjo de traços faciais. Dito isso, há habilidades em comum, como ler pensamentos, e outras mais raras, tal qual a forma como eu manipulo o tempo. (...) Nós, que podemos manipular os campos de tempo conscientemente, e não só para nós mesmos, mas para outras pessoas, somos conhecidos como ymbrynes. Criamos fendas de tempo nas quais pessoas peculiares podem viver indefinidamente. pg. 146


Com uma escrita fluída e muita criatividade, "O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares" é um livro de leitura infanto-juvenil muito agradável. Mesmo não sendo o tipo de suspense sobrenatural que eu esperava ao adquirir o livro, a leitura não me desagradou. É um suspense leve, recheado de fantasia e aventura, muito apropriado ao que se propõe. As imagens sinistras que o autor escolheu para ilustrá-lo dão um toque muito especial e um ar de mistério que acompanha o leitor durante o desenvolvimento da trama e, certamente, enriquecem a história. É um livro recomendável para quem busca fantasia e suspense, deixando, porém, o sobrenatural de lado. 



By Débora

Poderá gostar também

4 comentários

  1. Débora!
    Tenho a maior vontade de ler, não apenas esse mas todos os livros da série, principalmente por causa das fotos e todo enredo criativo.
    “A dúvida é o princípio da sabedoria.” (Aristóteles)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de JANEIRO dos nacionais, livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  2. Olá Rudy,
    Realmente, as imagens que o autor escolheu para ilustrar o livro são um destaque à parte... ajudam, e muito, a dar um toque de mistério à obra! Obrigada pelo comentário, boa leitura! Bjos

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito do livro e acabei comprando pela capa também. O enredo foi algo diferente do que eu imaginava, mas o resultado final foi ótimo. Só foi uma pena ele ter mudado de editora depois do primeiro livro, muitas edições em tão pouco tempo é um pouco confuso.

    Abraços!
    constelacaopyxis.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem lembrado, Érica! É uma pena mesmo que a editora não seja mais a mesma (difícil para quem gosta de montar uma bonita coleção na prateleira heheh)!
      Bjos e obrigada pelo comentário

      Excluir

- É permitido divulgar o endereço do blog/site, desde que seja feito em um comentário a respeito do post.
- Comentários realizados apenas para divulgar blogs/sites/promoções serão apagados.
- Utilize o formulário de CONTATO para avisos a respeito de memes/promoções/parcerias.

Popular Posts

Twitter

Instagram