08 de Março: Dia Internacional da Mulher

quarta-feira, março 08, 2017

Olá leitores, tudo bem?!

Hoje é 8 de março, o dia escolhido pela ONU, em 1975, para homenagear as mulheres internacionalmente. A data é usada para celebrar e relembrar as lutas e conquistas de direitos alcançadas pela mulheres nas mais diversas esferas da vida. Ainda não vivemos em um mundo onde o respeito e os direitos são vividos de forma igualitária, não existem dúvidas de que há ainda muito por se fazer. Porém, a celebração é importante. Precisamos olhar para trás e valorizar tudo aquilo que mulheres de outras épocas lutaram para ter e que, na atualidade, muitas podem usufruir sem questionamentos, como o simples direito de aprender a ler e escrever. Na sociedade contemporânea ocidental, esse direito é praticamente intrínseco, mas, apesar disso, em muitos lugares, ainda permanece viva a luta de séculos atrás pelo direito de aprender. 

A questão de gênero sempre colocou a mulher como segundo sexo, o feminino como inferior ao masculino, o que a fez carregar consigo todos os significados que a palavra 'inferioridade' traz, que vão desde a falta de valor e importância, até a submissão e obediência total a um ser superior. A luta por direitos fez com que as mulheres precisassem percorrer caminhos tortuosos para fazer valer igualmente a sua voz. Na literatura, por exemplo, a mulher era desencorajada ou, muitas vezes, aconselhada a criar pseudônimos masculinos, a fim de ter sua obra publicada e respeitada, pois não era de bom tom uma mulher ser escritora.

Pensando nisso, decidimos que hoje nosso post seria para homenagear escritoras de 15 grandes livros a nível mundial. São textos que, quebrando barreiras de língua, alcançaram notoriedade ímpar, seja pelo retrato de uma época, pela capacidade de descrever uma era sob a perspectiva feminina, por fazer denúncias sociais, seja pela criação de grandes personagens e universos de fantasia. Sabemos que a lista é muito curta de fato. Porém, tentamos com esses 15 títulos abraçar grandes nomes e escolhemos mulheres representantes de diferentes épocas, culturas e gêneros literários.


J.K. Rowling
A autora britânica, criadora do universo de magia de Harry Potter, é uma grande representante da literatura infanto-juvenil. Com vida literária voltada à criação de cenários fantásticos, Rowling recebeu o Prêmio Hans Christian Andersen de literatura, em 2010.



 
Mary Shelley
Escritora britânica do século XVIII, foi a grande criadora do romance gótico "Frankenstein", história cujo personagem foi imortalizado através de inúmeras adaptações para o teatro e cinema. Mary Shelley escreveu também contos, ensaios e dramaturgia.



Agatha Christie
É a maior escritora de romance policial de todos os tempos, sendo considerada a Rainha do Crime. Escreveu mais de 90 livros, traduzidos em diversas línguas em todo o mundo. Agatha ainda publicou 6 romances românticos sob o pseudônimo de Mary Westmacott. Com tantos livros escritos, são diversos os títulos de destaque, entre eles "Assassinato no Expresso do Oriente".



Anne Rice 
Escritora norte-americana contemporânea, conhecida por seus livros que mesclam literatura fantástica, terror e romance. Fez muito sucesso com sua série de livros sobre vampiros, chamada "Crônicas Vampirescas". Entre seus títulos, destaca-se "Entrevista com Vampiro", obra adaptada igualmente para o cinema.




Marion Zimmer Bradley
Outra autora norte-americana, com romances sobre fantasia e ficção científica. Sua mais famosa obra, "As brumas de Avalon", reconta a lenda do rei Artur sob a perspectiva feminina e, desde que foi lançada, vem conquistando gerações. Foi essa série que elevou o prestígio de Zimmer enquanto autora, estando ela durante três meses na lista de best-sellers do New York Times na época de seu lançamento.



Irmãs Brontë
Três irmãs inglesas nascidas em meados do século XIX, durante a época Vitoriana.Órfãs de mãe, com dificuldades financeiras e educação precária, as irmãs se tornaram mitos e pilares da literatura inglesa. Charlotte, Emily e Anne lutaram contra os mais diversos preconceitos para verem seus contos publicados, recorrendo inclusive ao uso de pseudônimos masculinos para que suas histórias fossem lidas sem preconceitos. As Brontë são responsáveis por obras como "Jane Eyre", escrita por Charlotte, "O Morro dos Ventos Uivantes", de Emily, e "A Inquilina de Wildfell Hall", escrita por Anne.

Jane Austen
Outro grande pilar da literatura inglesa, Jane Austen retratou os costumes de uma época. Com personagens e diálogos cheios de ironia e reflexão, Austen fez a denúncia dos valores vigentes na sua sociedade, com destaque para os preconceitos, ambições, vaidades e orgulhos que transparecem através de personagens notórios. "Orgulho e Preconceito", sua mais expressiva obra, é um dos livros mais lidos no mundo.


Thrity Umrigar 
Escritora e jornalista indiana, Thrity Umrigar escreve romances onde, de forma delicada, descreve os valores vigentes em uma sociedade onde o sistema de castas influencia as relações interpessoais. "O Espaço entre Nós" é um exemplo da obra da autora.



Isabel Allende
Nascida no Peru, mas com nacionalidade chilena, Isabel Allende é um dos grandes nomes da literatura latino-americana. Suas obras trazem fortes personagens femininas, apaixonadas por seus ideais, em grandes momentos históricos da sociedade da América do Sul. "A Casa dos Espíritos" é uma de suas obras de grande expressão, tendo sido adaptada para o cinema. A história retrata a vida da família Trueba no Chile, durante as mudanças sociais e políticas ocorridas no século XX.

Harper Lee
A norte-americana Harper Lee escreveu apenas um livro, porém de grande repercussão que lhe rendeu o Prêmio Pulitzer. "O Sol é para Todos" retrata o racismo enraizado e velado na sociedade dos Estados Unidos no início do século XX, através dos olhos de uma criança.




Marjane Satrapi
Romancista gráfica, ilustradora e escritora infanto-juvenil, Marjane nasceu no Irã e alcançou notoriedade com sua série de quadrinhos autobiográfica, "Persépolis", que ganhou versão animada para o cinema e recebeu indicação para o Oscar. A história retrata a infância da jovem no Irã durante o regime xiita e a opressão do povo persa.

 
Anne Frank 
Anne Frank jamais imaginaria que seu diário, escrito durante seus anos de reclusão em um sótão, viraria um dos símbolos do sofrimento imposto aos judeus durante a Segunda Guerra Mundial. Em "O Diário de Anne Frank", é possível conhecer os dilemas e angústias de uma menina frente ao conturbado período.


Malala Yousafzai
Considerada uma das jovens mais influentes no mundo e ganhadora do Nobel da Paz de 2014, Malala ficou conhecida em 2012, ao ser baleada na cabeça por talibãs. Malala então escrevia em seu blog a realidade da sociedade paquistanesa dominada pelos extremistas, os quais impediam as meninas e mulheres de frequentar instituições educacionais e violavam os direitos humanos. Seu livro "Eu sou Malala" traz o retrato de sua vida, destacando sua luta em defesa do direito à educação feminina.


Chimamanda Adichie
Atual e jovem autora nigeriana, Chimamanda é nome recorrente na luta pelos direitos das mulheres. Seu livro "Meio Sol Amarelo" é um dos seus títulos de destaque, tendo sido inclusive adaptado para o cinema. Porém, merece ser lembrado igualmente seu discurso feito no TED talk that, em 2012. Nomeado "We should all be feminists" ("Todos nós deveríamos ser feministas"), o discurso ganhou grande notoriedade e repercussão por falar sobre sexualidade e construção de gênero.


Rachel de Queiroz
A primeira escritora brasileira a entrar para a Academia de Letras, Rachel de Queiroz traz, no conjunto de sua obra, as lutas sociais e a realidade do povo nordestino na sua batalha contra a seca e a miséria. "Memorial de Maria Moura" e "O Quinze" são exemplares do trabalho da autora, que também foi tradutora, dramaturga, cronista e jornalista.




Essa foi nossa pequena lista de homenagem a grandes escritoras, grandes vidas que, através do poder da palavra, fazem crescer a luta pelos direitos e pela igualdade. Sabemos que a lista poderia ser bem maior, nomes de grandes autoras não faltam ao redor do mundo, mas como nosso espaço é limitado, escolhemos 15 personalidades femininas que acreditamos que representam a todas nós. Feliz Dia da Mulher!!! Exaltemos nossas conquistas, mas não esqueçamos que há ainda muito por se lutar!!!

Poderá gostar também

0 comentários

- É permitido divulgar o endereço do blog/site, desde que seja feito em um comentário a respeito do post.
- Comentários realizados apenas para divulgar blogs/sites/promoções serão apagados.
- Utilize o formulário de CONTATO para avisos a respeito de memes/promoções/parcerias.

Popular Posts

Twitter

Instagram